6 de set de 2012

E...

E se pudéssemos voar por sobre as nuvens...

Construiríamos o nosso castelo condensado; rei e rainha de nossos devaneios... E sob nosso decreto, viver a harmonia do estar, exaltando a vida à gargalhadas.

E se pudéssemos voar...

Como seres alados, quimeras destemidas... Sorvendo a liberdade de amar, guiados pelos ventos do sul.

E se pudéssemos...

Dançar, e dançar, e dançar! Deliciando cada compasso, sentindo o arrepio no toque de nossa pele; mãos e corpo numa busca brutal...

E se...

Esta paixão incandescente realmente importasse para o mundo. Um amor compartilhado, celebrado e abençoado. Olhos nos olhos, e a certeza.

E...

Querer, sentir, amar... Dos nossos decretos, em nosso reino condensado. Onde, como seres alados, pudéssemos dançar sob as nuvens e celebrar esta paixão abençoados pelas estrelas.