12 de out de 2012

Nah

Prefiro os amorais e recorrentes.
Se a autocrítica já me basta...
E sei do segredo da mortificação.