5 de jun de 2012

Meu mimo ♥

Recebi esta linda homenagem de um rapaz que sabe tão bem dos desalinhos da alma quanto eu... Esse docinho, querido que me faz tão bem. Diego, seu lindo! Obrigada, de coração. 

Canções de onde mesmo?

Do norte
do sul, ou de muito muito longe,
o sussurro do vento trazendo as boas novas.

Daquela que é tão doce, quase frágil.
Mas seu espírito sempre mostrará o contrário.
Aquela doçura que batalha, que luta que guerreia,
aquela mesma que jamais desistirá

Do concebimento,
nos dias mais verdes
até os mais amarelados.
De toda uma trajetória
que nenhuma canção ousaria
ser escrita sem trejeitos de vitoriosa.

Intensamente,
é a maneira que trilhou os seus passos.

No presente todos os caminhos levam a um só.
À grande "chest of wonders" que em seu interior
nada mais tem que campos esverdeados,
jardins de uma grandeza
INIGUALÁVEL.
E toda a felicidade do mundo,
em apenas uma caixa
em apenas um local
em apenas...

Apenas...


... sorria!
Porque do surgimento aos tempos vividos
nem em todas as canções
e nenhum ser existente
conseguiria explanar a grande emoção de existir.

EXISTA!
E sim, existe.

Aquela que faz as suas próprias canções
e que vence as suas próprias batalhas.
Batalhas que sozinha, somente
ela vence, venceu e vencerá!

Aquela,
das canções
não do norte
nem do sul.
Canções da nossa guerreira do centro-oeste.