7 de mai de 2003

Sabe, nunca suportei a mentira e a falsidade. Atribuo muito as experiências familiares, falsas amizades... pessoas que se aproveitavam da minha bondade e pisaram em mim... tive muitas decepções por conta disto... e eu sempre fui muito franca, sabe? Se algo não me agrada, eu falo. E às vezes pago caro pela minha sinceridade... perdi 2 namoros por conta desta minha franqueza... No 1º, pedi mais atenção, ele não cuidava de mim... no ultimo, disse que ele estava paranóico e obsecado por mim... resultado? Mentiram, traíram o meu amor, tão verdadeiro... mas... no fim, o que restou foram desgostos... Fiquei triste, destruída sim, mas sempre vi com muita clareza e aprendizado tudo... Gosto de cativar as pessoas, de fazê-las feliz... hum... enfim, chego ao fim de tudo renovada, pronta para viver... e gostaria de compartilhar algo com vocês. Eu conheci o lado de uma pessoa que eu não via... adimiro-o demais... Bom, eu e o Diego estamos namorando. Sim, um namoro maduro, adulto... Quero viver, mas não quero fazer carnaval disto como eu fazia antes... Então vocês não verão mel neste blog, okay? ^^... Eu estou muito feliz, radiante.. espero que eu tenha a benção de Deus. E sei que tenho.

Diego, desculpa por pedir seu silêncio, te adoro...

Bom, finalizo esta minha postagem maluca e confusa com uma poesia da bela senhorita Florbela Espanca... em homenagem à minha amiga Ana, radiante tanto quanto eu, sendo amada por uma pessoa de índole e coração bom. E em especial dedico ao meu lindo Diego... ^^ ...

Conto de fadas

Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o unguento
Com que sarei a minha própria dor.

Os meus gestos são ondas de Sorrento...
Trago no nome as letras duma flor...
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento...

Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é de oiro, a onda que palpita.

Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
- Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa do conto: «Era uma vez...»


Um beijo à todos!