2 de fev de 2011

O quebra-nozes

Sem querer, você sorriu. E meu coração sorriu para ti.
Meu consumo, minha conquista, meu presente... Estava finalmente aqui e sorriu para mim.

... E mais uma vez, desconcertante. E sorriu. E SORRIU.

Soldadinho de chumbo encantador... No entanto, fácil de ser desvendado. Não precisava tanto. Não pedi tanto.

Sorriu que se dilacerou, e seu sorriso não mais me encantou. Agora é um sorriso inócuo... Sem sentido. Quebrado, como no original...

Mas como um quebra-nozes quebrado, não me tem mais serventia... Vou guardá-lo na caixa, junto aos outros "quebrados".


... Tenho este péssimo hábito de não jogar nada fora.