24 de dez de 2009

Amanhã.

O natal é meio antagônico para mim. Tenho lembranças tristes e felizes... Da infância esquecida e vida adulta hipócrita. A gente vai levando, como a vida deve ser. Ao menos estou vida, e vivo mais um natal.

Esqueça o significado bíblico, e pense: Você quer estar com as pessoas que ama, num dia especial, conversando sobre os feitos passados e as especulações futuras... Brinda o ilusório, almeja desejos plásticos. Ou você faz parte, ou entrega-se a pura ilusão necessária.

Acho que prefiro o devaneio. É mais a minha cara.

Quero estar com as pessoas que mais amo sim. Dizer bobagens, comer o que não aguento mais, sorrir o que já não tem graça. O Natal tem disso, deste espírito.

Eu quero um natal pra mim sim. Feliz, mágico e (juro que vou tentar) especialmente feliz.

Feliz natal a vocês, fantasmas e vozes em minha cabeça, que insistem em acompanhar estas linhas non-sense. ;)