20 de jul de 2009

A voar.

Sigo ferida porque sempre me julgas
Disfere frases de dor, e me condena.
Sou uma pluma ágil em teu caminho...
Ao menos tento, engolindo orgulhos.
- Este trunfo não é meu, apenas.
Já não há mais tempo. Então... Porque insistes?