5 de jan de 2004

Eu sou o início... o fim e o meio.


Nossa, este blog estava entregue as moscas... Isso é o que dá não ter internet em casa. Se bem que eu até prefiro, pois eu fico hipnotizada e ociosa em frente a uma tela de computador. Mas faz muita falta.

Férias. Eu nunca fui de gostar de férias. No início é ótimo poder descansar dos afazeres, mas depois vem o tédio. Você de trancafia (palavrinha que aprendi com mamãe^^) em casa e não vê o mundo... pelo menos no meu caso. Me torno mais sedentária do que sou, além da falta que sinto dos meus amigos. Droga, e como sinto falta de vocês. Os de perto pois não nos vemos, os de longe pois não posso enviar e-mails... férias! Para mim, é uma relação de amor e ódio. Mas é necessário, reconheo que é.

Gostaria de postar uma música. Para os que me conhecem sabem que sou assim, inconstante, mutável...

"... Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo... De sobre o que é o amor, sobre o que eu nem sei quem sou.

... se hoje eu te odeio, amanhã lhe tenho amor... lhe tenho amor e lhe tenho horror. Lhe faço amor, eu sou um ator!

Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes... E prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo."


Às vezes é bom ser inconstante... mas nestes ultimos tempos isto tem me colocado em dilemas dificílimos, e digo a vocês: guardem o que for de mais verdadeiro dentro de si e vivam... não é tempo de se construir paradigmas irreversíveis... não há como.

E pegando o bordão da minha irmã: Inteh!