4 de ago de 2003

Hoje vou falar de alguém especial para mim... minha querida amiga, ou melhor, irmã. Ana Rita.

Querida, gostaria de expressar todo o amor e carinho que sinto por ti... Mas sabes muito bem, não? Nossa amizade é muito bem esclarecida, verdadeira... e íntegra.
Estes tempos tem sido difíceis... O sorriso falta, a alegria já não é a mesma... o coração parece vazio, sem forças... lembre-se minha amiga que Deus não nos dá um peso maior do que podemos carregar... eu acredito em sua recuperação, eu realmente acredito.

Nós duas vamos sair desta... digo "nós" pois você não está sozinha, eu estou ao seu lado, sempre.

Te amo querida irmã...

Anoitecer

A luz desmaia num fulgor de aurora,
Diz-nos adeus religiosamente...
E eu que não creio em nada, sou mais crente
Do que em menina, um dia, o fui... outrora...

Não sei o que em mim ri, o que em mim chora,
Tenho bençãos de amor pra toda a gente!
E a minha alma, sombria e penitente,
Soluça no infinito desta hora...

Horas tristes que vão ao meu rosário...
Ó minha cruz de tão pesado lenho!
Ó meu áspero intérmino Calvário!

E a esta hora tudo em mim revive:
Saudades de saudades que não tenho...
Sonhos que são os sonhos dos que eu tive...